Fica muito difícil, senão impossível de acreditar que a Prefeitura de Cidreira tenha esquecido da Festa de Iemanjá que acontece a mais de 100 anos aqui na nossa praia. A Festa da Mãe Iemanjá não está sequer mencionada na programação oficial do verão 2024 de Cidreira. Isso significa que a atuação comunitária do Conselho dos Povos de Terreiro e a dedicação da Comissão da Festa de Iemanjá e toda a fé das pessoas das religiões africanas do Estado do RS foram desprezadas pela Prefeitura? Isso está parecendo muito com Racismo e preconceito com a fé das gentes da Matriz Africana!
E Racismo é crime!






 


 

 


Aconteceu a eleição do COMCultura durante a III Conferência da Cultura de Cidreira. O Conselho ficou assim constituído: No Artesanato: Flavia Cavalcanti e Silvana Ribeiro; no Audiovisual: Jasmine Vasconcelos e Jorge Nunes; Coletivos Culturais: Rosa Carolina / Yan Gabriel; Cultura Viva: Mestre Ivan Therra e Vivi Soneborn; Culturas Populares: Jackie Martinelli e Luis César; Entidades Tradicionalistas: Grazi Martins e Paula Celene; Música: Eraldo de Almeida e Johans Menezes. Boa Luta gente da cultura!







BATUCADA DA PRAIA é o novo projeto que a Casa da Cultura do Litoral e o Ponto de Cultura Flor da Areia apresentam para a nossa comunidade da Região Praieira Gaúcha. A Batucada da Praia é um momento de ritmo, força e alegria, entrando na vida de todes aqueles que estão com vontade de misturar boas energias, vitalidade, conhecimento ancestral e muito diversão. O comando da Batucada da Praia é do Maestro Eraldo Almeida, cria da praia, trombonista de mão cheia, multi premiado em vários festivais de bandas e fanfarras no estado do RS, com destaque para as participações nos festivais de música estaduais com Grupo de Cultura Popular Kikumbí. Os encontros acontecem todos os sábados, a partir das 18 horas, no galpãozinho do Ponto de Cultura Flor da Areia na Praça da Cultura, em frente ao Posto 24 Horas. O acesso é livre e irrestrito, Se vc tem um tambor, traga junto, se não tem nós temos um especial para vc que quer conhecer um pouco mais sobre a nossa cultura praieira, nossas batidas, ritmos e viradas passadas pelo Mestre Julinho. É nós da Praia!



Agentes culturais do Litoral Norte promovem atividades para além da temporada de veraneio

20 de abril de 2022

Cultura | Apesar de as ações ligadas ao campo cultural para a população litorânea serem variadas, iniciativas ainda sofrem com a falta de incentivo do poder público 

Quando se fala sobre a região do litoral, logo se pensa em apenas uma coisa: beira da praia. Embora seja a maior atração turística das cidades litorâneas, ela não é a única. Outras atividades e espaços culturais voltados à população, envolvendo dança, música, cinema e teatro, existem e lutam para se manter.

Na cidade de Cidreira essas iniciativas são muito presentes. A fundação da Casa de Cultura do Litoral, por exemplo, é essencial para que vários projetos se mantenham. O espaço é uma organização composta por um coletivo de artistas, pesquisadores e ativistas culturais da região e tem como propósitos a pesquisa, o registro, a valorização e a divulgação dos artistas, das artes e das culturas da região praieira gaúcha. Com isso, a Casa apresentou um projeto ao Ministério da Cultura em um edital federal e foi contemplada com o projeto Ponto de Cultura Flor da Areia, dedicado à produção audiovisual com tecnologias digitais.

Fachada Flor da Areia (Foto: Divulgação)

De acordo com o Mestre Ivan Therra, músico e coordenador do projeto, o objetivo principal é fazer cinema sobre as histórias da praia. “A gente recolhe da memória e da oralidade, da conversa com os mais velhos histórias da beira da nossa praia e transformamos em filmes”, conta. A produção mais famosa do projeto é o filme intitulado “Maestro da Areia”, trazendo a narrativa de um pescador chamado Mestre Tobias, que tinha o costume de fazer instrumentos musicais e ensinar as crianças a tocar e a cantar. 

“A nossa função principal eu penso que seja ouvir e registrar. A gente é um grupo de artistas que está disposto a ouvir, ouvir as histórias, ouvir o som dos ventos, o movimento das dunas, ouvir o que a natureza quer nos dizer, o que a comunidade quer nos dizer”

Mestre Ivan Therra

Dentro do Ponto de Cultura Flor da Areia existe um projeto chamado Boizinho da Praia, um auto folclórico que estava em desuso há mais de 60 anos na cidade. Ivan conta que passou a procurar na memória dos moradores pedaços dessa história. “Eu descobri que esse boizinho não era só aqui”, diz. “Tinha um boizinho em Tramandaí, em Quintão, no Balneário Pinhal, em Osório também tinha; enfim, tínhamos vários boizinhos aqui na região litorânea.” Assim, o músico reuniu as cantorias, os instrumentais, as danças e resgatou essa memória do Boizinho da Praia para os pequenos na beira de Cidreira. 

Saiba mais... acesse Jornal da Universidade - UFRGS






   







 

O Jornal O Marisco é uma ferramenta de comunicação comunitária da Casa da Cultura do Litoral. O Jornal O Marisco registra, espraia e abre espaços de comunicação da manifestação e das demandas culturais e sociais das nossas comunidades da beira. O Jornal O Marisco tem 19 anos de praia e nesta caminhada conquistou dois Prêmio Cultura Viva, sendo atividade cultural de eco comunicação comunitária Reconhecida pelo Selo do MINC - Ministério da Cultura.

Whats: 51.99981.5593
Email: jornalomarisco@gmail.com

Cultura é a nossa Praia!